Publicidade
Publicidade

‘Quando chega aos pênaltis eu me divirto’, diz Romero, herói do Boca contra o Palmeiras

Responsável por defender 12 dos 23 pênaltis cobrados contra ele com a camisa xeneize, arqueiro argentino foi fundamental contra o Verdão

A classificação do Boca Juniors para a final da Copa Libertadores passou pelas mãos de Sergio Romero. Contra o Palmeiras, na última quinta-feira, 5, o goleiro parou diversas finalizações no tempo normal e defendeu duas cobranças na disputa de pênaltis, de Raphael Veiga e Gustavo Gómez.

Publicidade

“Aos 36 anos, quando chega aos pênaltis eu me divirto, posso aproveitar, e tudo fica mais simples. Em outra época sofri com isso. Além disso, tenho um grupo de trabalho maravilhoso, Galloso, Javi García e Brey (golerios reservas), uma equipe muito boa”, declarou Romero ao deixar o campo no fim da partida.

Essa não foi a primeira vez que o experiente goleiro brilhou nas penalidades nesta campanha da Libertadores. Além das semifinais, Sergio Romero defendeu cobranças nas oitavas e nas quartas de final, contra Nacional, do Uruguai, e Racing, da Argentina, respectivamente.

Publicidade

Desde que chegou ao Boca Juniors, em agosto do ano passado, o goleiro defendeu 12 de 23 pênaltis cobrados contra o gol xeneize, segundo dados levantados pela Sofascore. Ou seja, parou mais da metade das cobranças batidas (52% de aproveitamento).

Sergio Romero surgiu na base do Racing em 2006 e se transferiu para o futebol europeu logo em seguida. Antes de retornar à Argentina, passou por AZ, da Holanda, Sampdoria, da Itália, Monaco, da França, Manchester United, da Inglaterra e o italiano Venezia.

No dia 4 de novembro, o Boca Juniors encara o Fluminense na final da Libertadores, no Maracanã. O goleiro retorna ao estádio onde disputou a decisão da Copa do Mundo de 2014, contra a Alemanha. Na ocasião, a Argentina foi derrotada por 1 a 0, na prorrogação.

Publicidade

“Para mim, não vejo como uma vingança, mas voltar a esse estádio será lindo. Peço aos torcedores que confiem em nós, como fazemos. Vamos pelo título e só resta um passo. Sentimos a energia da torcida e a vontade de ganhar o sétimo troféu. Juntos vamos alcançar o objetivo e, no Rio de Janeiro, metade do estádio será nosso”, disse Romero.

Publicidade