Publicidade
Publicidade

Jogo do Apertura argentino é suspenso devido a disputas políticas

Buenos Aires, 3 dez (EFE).- A partida entre San Lorenzo e Tigre, marcada para este sábado, pela 17ª rodada do Torneio Apertura do Campeonato Argentino, teve que ser adiada porque a Prefeitura de Buenos Aires fechou o estádio El Nuevo Gasómetro. A imprensa esportiva local interpretou que o ocorrido é mais um capítulo nas brigas […]

Buenos Aires, 3 dez (EFE).- A partida entre San Lorenzo e Tigre, marcada para este sábado, pela 17ª rodada do Torneio Apertura do Campeonato Argentino, teve que ser adiada porque a Prefeitura de Buenos Aires fechou o estádio El Nuevo Gasómetro.

Publicidade

A imprensa esportiva local interpretou que o ocorrido é mais um capítulo nas brigas políticas entre o Governo argentino e a Prefeitura da capital, que apoiam dois candidatos diferentes nas eleições para Presidência do Boca Juniors, marcada para este domingo.

O atual presidente do Boca, Jorge Ameal, tenta a reeleição e tem ligações com o peronismo governante em nível nacional, enquanto Daniel Angelici tem o apoio do prefeito Mauricio Macri, que esteve à frente do clube de 1995 a 2007.

Publicidade

‘Como não havia condições de segurança e funcionamento, foi fechado preventivamente neste sábado o estádio do San Lorenzo’, declarou o diretor-executivo do Comitê de Segurança da cidade de Buenos Aires, Ignacio Palazuelos.

A confusão começou na última terça-feira, quando a Associação do Futebol Argentino (AFA) antecipou para este sábado a partida entre San Lorenzo e Tigre, marcada inicialmente para domingo, duas horas antes do jogo entre Boca Juniors e Banfield.

Continua após a publicidade

Faltando três rodadas para o fim do Apertura, o Boca tem nove pontos de vantagem para o Tigre, segundo colocado, e para ser campeão precisa de um empate em La Bombonera ou que o time da cidade de Victoria não vença o San Lorenzo.

Publicidade

A AFA argumentou que a Unidade de Coordenação de Segurança e Prevenção da Violência em Espetáculos Futebolísticos, vinculada ao Governo nacional, não tem de organizar de organizar outro grande esquema de segurança que não fosse o voltado para o jogo do Boca.

Na quarta-feira, Palazuelos declarou que a Prefeitura de Buenos Aires não poderia mudar sua agenda de trabalho com tão pouco tempo de antecipação e, portanto, não enviaria os inspetores que se encarregam de dar aval para que os estádios sejam utilizados.

As partes se mantiveram firmes em suas posturas, e nesta sexta-feira a AFA inclusive confirmou o jogo entre San Lorenzo e Tigre para este sábado, sabendo que o duelo seria suspenso horas antes do começo, como ocorreu.

Para a imprensa esportiva, que considerou este conflito como ‘um novo papelão’ no futebol argentino, a Prefeitura de Buenos Aires interpretou que houve a tentativa de se antecipar a partida para que Ameal tivesse a possibilidade de chegar ao dia das eleições com o título já confirmado pelo Boca.

Na consequência, a mídia local destaca que a Prefeitura, em um ato de vingança, negou alvará de funcionamento para El Nuevo Gasómetro com um argumento tolo e em um contexto como o do futebol argentino, no qual sobressai a desorganização no momento de agendar os dias e os horários das partidas. EFE

Continua após a publicidade

Publicidade