Publicidade
Publicidade

Beijinho, polêmicas e pior média pelo Flamengo: a má fase de Gabigol

Camisa 10 do Flamengo não marca com a bola rolando há nove jogos e viu atrito com a torcida aumentar após reverência a ex-treinador

A derrota do Flamengo frente o São Paulo na primeira partida da Copa do Brasil aumentou ainda mais a tensão no Rubro-Negro. No centro do furacão, está Gabriel Barbosa. O atacante passou em branco pela terceira partida consecutiva e protagonizou mais uma cena polêmica ao invadir a entrevista coletiva de Dorival Júnior, seu ex-treinador, e mandar um “beijinho” ao comandante são-paulino.

Publicidade

Pelas redes sociais, o camisa 10 tentou atenuar dizendo ainda acreditar em uma reação da equipe: “Faltam 90 minutos, eu acredito.”

A publicação, porém, foi muito criticada por torcedores, irritados com as atuações do atacante e também com a postura de cumprimentar o treinador adversário depois do duelo.

Publicidade

Gabigol tem 20 gols em 48 partidas nesta temporada, o que configura, em média, a sua pior temporada desde a chegada. Com 0,41 gols por jogo, tem números piores do que em todos anos desde que chegou ao clube, em 2019.

Na primeira temporada, foram 43 gols em 59 jogos, uma média de 0,72. Em 2020, ele marcou 27 gols em 43 partidas, média de 0,62. No ano seguinte, 34 bolas na rede em 45 partidas, média de 0,75, a melhor pelo clube. E no último ano, média de 0,46, pelos 29 gols em 63 jogos

O jogador não faz um gol com a bola rolando há nove partidas. O último tento foi marcado de pênalti, contra o Coritiba, no último dia 20 de agosto, em confronto pela 20ª rodada do Brasileirão.

Publicidade

Recentemente, foi alvo de protestos da torcida em meio as comemorações de seu aniversário, com a presença de influencers e alguns jogadores do elenco flamenguista.

Publicidade